topo

Diástase: Não espere ter para então se preocupar

18/01/2021

Você sabia que não é preciso esperar pelo pós-parto para começar a se preocupar com a diástase? Após o terceiro mês de gestação já é possível iniciar um tratamento preventivo.

A diástase abdominal pode ser caracterizada como o afastamento dos músculos abdominais que geralmente acontece durante a gravidez, sendo a principal causa de flacidez abdominal e dor lombar no pós-parto.

A diástase do musculo reto abdominal de até 1 cm é esperada após o parto, e o retorno da musculatura pode ocorrer de maneira espontânea na maioria dos casos, sem complicações. Esse tipo de diástase não provoca desconforto, nem dor. A diástase é considerada patológica quando ultrapassa os 2 cm, pois nesses casos interfere na estabilização do tronco, prejudicando a postura, defecação e a contenção visceral.

O tratamento pode ser preventivo ou convencional nesse segundo caso quando a diástase já está instalada. O tratamento preventivo é sempre o mais indicado e com melhores resultados, ele é composto por: exercícios de ativação dos músculos do abdômen exercícios perineais; exercícios e orientações de caráter postural; mudança de hábitos; reequilíbrio muscular, entre outros.

Muitas mulheres acham que não se deve ativar/ contrair o abdômen durante a gestação, julgando que essa prática vai prejudicar o bebê. Isso é mito! Claro que existe o jeito certo de fazer. E ativar o abdômen não é fazer abdominal viu? Existe todo um cuidado na escolha e na execução dos exercícios, por isso estes devem sempre ser supervisionados por um profissional qualificado, nesse caso o fisioterapeuta.

Todos os exercícios são realizados pensando no bem-estar da mãe e do bebê e não oferecem nenhum tipo de risco. Mas afinal, por que devo prevenir a diástase? Veja, a diástase não é só uma questão estética ela pode desencadear vários problemas como dor na coluna lombar, incontinência urinária, constipação intestinal, etc. E durante a gestação a probabilidade de que ela apareça é muito alta devido ao estiramento excessivo dos músculos do abdômen e ao peso do bebê. Por isso para que você evite complicações futuras essa parte do corpo merece uma atenção especial desde a gestação. Prepare-se para gestar, se puder!

Por Caroline Pinelli, Fisioterapeuta Materno-infantil, mãe do Davi e da Giulia.

Para conhecer mais o trabalho da Caroline é só acessar o instagram @fisiomaternoinfantil.

postagens anteriores

Precisa produzir leite na gravidez?

18/06/2021

A amamentação acontece só depois que o bebê nasce, certo? Então, seria complicado manobrar uma...

Ler mais

Esse tal de períneo

17/06/2021

Quem está grávida, muito provavelmente, já ouviu falar em períneo! As que desejam um parto vaginal, então,...

Ler mais
Olá, precisando de ajuda? Tire suas dúvidas conosco!