Uma Mãe que se reinventou...

05/05/2020

Quando eu e o meu marido resolvemos ter filhos, eu morava em Porto Alegre e ele no interior do estado do RS. Pensamos bem e na nossa mente seria tranquilo. Eu ficaria com as crianças em Porto Alegre, e eu estava disposta a assumir esse compromisso. Ele viajava todo final de semana para nos encontrar. Tivemos o Miguel em 2013 e o João em 2015, e nesse meio tempo meu marido se mudou para Santa Maria-RS, o que facilitou um pouco as coisas por diminuir a distância. Eu trabalhava em uma empresa de desenvolvimento de software, sou formada em Engenharia de Computação, e com a vida corrida da capital a nossa opção foi colocar as crianças em uma escola de turno integral.

Tudo ia muito bem, os guris estavam crescendo... E com isso eles começaram a entender mais o que estava acontecendo. Que o papai só estava presente nos finais de semana, e que toda a segunda-feira ele ia embora trabalhar. E cada vez que nós íamos a Santa Maria, fazíamos inúmeras coisas que não conseguíamos fazer morando em Porto Alegre, como andar de bicicleta na rua. Então eles começaram a demonstrar que gostavam mais da cidade do papai do que da cidade da mamãe.

Foi quando eu parei pra pensar que aquela decisão de ter filhos morando em cidades separadas tinha sido uma decisão minha, do meu marido, não das crianças. E agora eles estavam demonstrando que isso não era tão tranquilo assim, não pra eles. Junto a tudo isso uma sensação de insegurança que eu já vinha sentindo há algum tempo, e tudo ficou claro pra mim: minha vida teria que mudar para o interior do estado.

Não foi uma decisão tomada da noite para o dia, foi pensada durante meses. Larguei um emprego de 15 anos e fomos de mala e cuida morar todos juntos. E no momento em que eu decidi largar o emprego, eu também vi no meu hobby com artesanato uma forma de me recolocar no mercado podendo trabalhar em casa, e acompanhar mais de perto a rotina e o crescimento dos guris. Há pouco mais de 2 anos eu tenho o Ateliê da Morena @morena.aprenderbrincando , e produzo livros de atividades (quiet books) e brinquedos educativos em feltro. Essa mudança toda foi uma reinvenção. Me reinventei como mãe, como profissional, e certamente também como pessoa. Mas tenho a certeza de que os mais beneficiados com isso tudo foram os meus filhos, e isso me dá a garantia de ter feito a escolha certa.

Por Sheila Souza, mãe do Miguel e do João

postagens anteriores

Atividades de estimulação para as crianças de 0 a 12 meses

05/08/2020

Há diversas atividades que podemos realizar em casa e que podem auxiliar nossos filhos a aprenderem as habilidades esperadas para sua faixa...

Ler mais

05 benefícios da amamentação para saúde das mães

03/08/2020

Em agosto é comemorado o mês Mundial do Aleitamento Materno. Nessas datas comemorativas sempre falamos muito de...

Ler mais
Olá, precisando de ajuda? Tire suas dúvidas conosco!