topo

O que é Disciplina Positiva?

03/06/2021

Tem se tornado cada vez mais comum o termo Disciplina Positiva, mas você sabe o que essa abordagem representa de fato? Vem comigo que no texto de hoje  vamos conhecer sobre esse estilo parental tão valioso e que nos coloca como protagonistas em um novo jeito de educar.

Disciplina Positiva é uma filosofia de vida com uma abordagem que nos traz ferramentas para uma educação mais respeitosa com nossas crianças. Visa o caminho do meio entre o autoritarismo e a permissividade. (Farei um texto em breve sobre as diferenças entre esses estilos tá bem?!)

Essa abordagem já existe há mais de 100 anos a partir do trabalho do Psicólogo Alfred Adler e na sequência por Rudolf Dreikurs seguidor do seu trabalho. O termo Disciplina Positiva nasceu nos anos 80 pela incrível Jane Nelsen. Ela é mãe de 7 filhos e avó de 18 netos e depois dela aplicar na criação de seus filhos os princípios de Adler e Dreikurs ela percebeu a maravilhosa ferramenta que poderia transformar a vida de muitas famílias e então escreveu seu primeiro livro “Disciplina Positiva”. Depois disso já foram escritos mais de 20 títulos sobre o assunto.

Para exemplificar a base dessa abordagem, separei cinco conceitos que fundamentam esse estilo parental:

1 – Conexão antes da correção 

A conexão auxilia crianças e adolescentes a terem mais segurança, confiança, abertura e proximidade. Antes de qualquer correção, é necessário que você demonstre à criança que ela é mais importante para você do que suas notas, do que o objeto que foi quebrado ou das atitudes que ela teve. Depois de estabelecerem uma conexão genuína fica mais fácil buscarem juntas soluções para a situação em questão. Quando buscamos soluções para os problemas junto com a criança, elas se sentirão mais motivadas a resolver seus problemas e futuramente saberão mais facilmente, como fazer isso sozinhas. Além disso, ao ensinar como focar nas soluções e buscar alternativas de forma colaborativa, você está sendo um exemplo de empatia, respeito e compreensão.

2 – Firmeza e Gentileza ao mesmo tempo

Esse princípio enfatiza o respeito mútuo pois ao ser firme reforçamos a necessidade enquanto adulto de sermos respeitados e sendo gentil reforçamos o respeito que também devemos ter pelas necessidades da criança. Para ser firme e gentil ao mesmo tempo você deve começar validando os sentimentos da criança, demonstrando compreensão e oferecendo opções sempre que possível. Ex.: Sei que você gostaria de assistir televisão por mais tempo E está na hora de dormir. Qual história você quer ouvir hoje?!

3 – Encorajamento

Muita gente confunde encorajamento com elogios, mas a gente vai ver que há uma boa diferença. O encorajamento valida a singularidade de cada indivíduo. O elogio geralmente se concentra na pessoa, na tarefa bem sucedida. O encorajamento valoriza o processo, o esforço da pessoa independentemente do resultado final. Encorajar oferece oportunidades para o desenvolvimento de comportamentos positivos que fazem o indivíduo ter a percepção de “Eu sou capaz”, “Eu posso contribuir”, ajudando assim na construção do autovalor da criança. O efeito no longo prazo do encorajamento é a autoconfiança e o elogio é a dependência de aprovação do outro.

4 – Todo “mau comportamento” tem uma necessidade não atendida 

Esse princípio parte do pressuposto de que nenhuma criança age “mal” porque quer provocar, desafiar o adulto etc e sim do princípio de que alguma necessidade não está sendo atendida e ela ainda por não ter ferramentas, habilidades racionais plenamente desenvolvidas não sabe ainda como falar dessas necessidades de outra maneira. Para exemplificar usamos a analogia do iceberg. A ponta do iceberg representa apenas 20% da sua totalidade que está submersa. Essa ponta seria o “mau comportamento” da criança, e a parte submersa seriam as crenças, necessidades que geraram esse comportamento. É preciso um olhar atento, entrar no mundo da criança para perceber. Seguindo os conceitos anteriores essa percepção ficará também muito mais evidente a cada dia.

5 – Fale no positivo

Temos uma tendência a dar orientações a criança sempre usando o “não” na frente. “Não suba aí, não pule no sofá, não risque a parede etc” e as crianças, principalmente as pequenas não possuem uma percepção tão clara do “não”, portanto é mais eficaz você dizer o que a criança pode fazer ao invés do que ela não pode. Se a criança for menor de 3 anos pode ser mais eficaz você agir ao invés de ficar dando ordens, para isso pratique a distração e redirecionamento que seria aqui uma ferramenta extra para vocês utilizarem. Basicamente consiste em direcionar a criança para uma atividade que ela possa fazer, conduzindo ela gentilmente pela mão e a incentivando nessa nova atividade. 

Lembre-se de que o sentimento, a intenção por trás do que você faz ou diz é mais importante do que o que suas ações ou discurso. As crianças absorvem a energia dos sentimentos.

E uma reflexão final que gostaria de deixar pra você é para que percebam e anotem por um dia que seja, com qual frequência você repreende seu filho, exige algo ou crítica suas ações e anote também quantas vezes você admira suas habilidades, encoraja suas descobertas ou se divertem juntos. O que você faz com mais frequência?! Se suas atitudes com a criança são mais negativas que positivas, te convido a pensar sobre isso e reavaliar o que pode fazer de diferente para mudar essa realidade. Gostou do conteúdo?! Deixe seu comentário para saber o que achou :)

Por Iara Fogar, Educadora Parental e Mãe da Sophia.

Para conhecer mais o trabalho da Iara é só acessar o instagram @iara.fogar

_____________

Você está grávida e quer se preparar para chegada do bebê?

Então conheça nosso Curso: "Vou ser Mãe, e agora?"

postagens anteriores

Hormônios de Sono

22/09/2021

O sono é uma necessidade do organismo como qualquer outra e tem importantes funções como desenvolvimento cerebral,...

Ler mais

Encorajando o desenvolvimento da linguagem

20/09/2021

Desde pequenos podemos estimular e encorajar a comunicação com nossos filhos seguindo os passos abaixo:

Converse com seu...

Ler mais
Olá, precisando de ajuda? Tire suas dúvidas conosco!