topo

Fuja dos 5 mitos comuns sobre o sono do bebê

12/02/2021

Não existem mães de meio período. Este show é em tempo integral, não importa se você é uma mãe que fica em casa, uma mãe que trabalha ou algo entre os dois. Seus filhos estão em sua mente 24 horas por dia, 7 dias por semana, não importa o que mais esteja acontecendo, por isso tendemos a fazer muitas pesquisas e com acesso a dados ilimitados pela internet, é inevitável que recebamos algumas informações conflitantes.

Então, gostaria de falar da minha área de especialização, que é o sono infantil, e tentar dissipar alguns dos mitos mais populares que vi em fóruns de pais e grupos de mães com os quais conversei.

1. Dormir muito durante o dia atrapalhará o sono do bebê à noite.

Provavelmente não, exceto em casos extremos. A menos que seu filho esteja dormindo praticamente o dia todo e acordado a noite toda, você não precisa se preocupar com a duração de suas sonecas. Em especial, os recém-nascidos, que precisam de muito sono. Na verdade, por volta dos 3 meses, recomendo que seu filho não fique acordado por mais de 1 hora e meia entre as sonecas. Para os recém-nascidos, o intervalo acordado é de, no máximo, 45 minutos a uma hora.

O que mantém os bebês acordados à noite, mais do que qualquer outra coisa, é o cansaço excessivo. Você pode pensar que um bebê exausto tem mais probabilidade de dormir a noite inteira do que aquele que dormiu o dia todo, mas na verdade é o oposto. O motivo pelo qual nos referimos a isso como “super cansado” é porque o bebê passou da fase de “cansaço” e seu corpo começa a engrenar, o que o impede de cair no sono e continuar dormindo. Um bebê que teve uma quantidade razoável de sono durante o dia tem muito menos probabilidade de perder a janela para dormir à noite.

2. Dormir é um processo natural e não pode ser ensinado.

Dormir é natural, claro. Todos acordam e voltam a dormir várias vezes por noite, independentemente da idade. Portanto, você não pode forçar uma criança a ter sono. O que pode ser ensinado, entretanto, é a habilidade de voltar a dormir de forma independente e hábitos saudáveis de sono.

O típico bebê que “dorme mal” não é aquele que precisa menos horas de sono ou tem mais tendência a acordar. Ele apenas aprendeu a depender de uma ajuda externa para voltar a dormir quando acorda no meio da noite. Uma vez que seu filho descobrir como dormir sem a ajuda de fontes externas, ele começará a
engatar um ciclo de sono no outro sem esforço, e esse é o segredo para "dormir a noite toda".

3. Os bebês ditarão naturalmente seus próprios horários de sono.

Nossos bebês precisam de muitos cuidados e ajuda em seu desenvolvimento, e seus ciclos de sono são incrivelmente instáveis se forem deixados desregulados. Se eles perderem seu ciclo natural de sono por apenas meia hora, sua produção de cortisol pode aumentar, o que causará um aumento súbito de energia, e as coisas ficarão rapidamente fora de controle. Por mais que eu desejasse que os bebês simplesmente adormecessem quando estão cansados, não funciona assim. Isso não quer dizer que você não deva responder aos sinais de cansaço do seu bebê, mas também não deve contar unicamente com isso.

4. O treinamento do sono é estressante para o bebê e pode afetar o apego pais-filho.

Segundo a Academia Americana de Pediatria, que é uma das fontes mais confiáveis de informações sobre a saúde do bebê nos Estados Unidos, isso é um mito. De acordo com um estudo de 2016 conduzido por oito de seus principais pesquisadores, a intervenção comportamental (popularmente conhecida como treinamento do sono) "fornece benefícios significativos no sono acima do controle e não causa reações adversas ao estresse ou efeitos de longo prazo sobre o apego pais-filho ou as emoções e comportamento infantil. ” Portanto, não há dúvida sobre os benefícios da intervenção comportamental de ensinar seu filho
a dormir melhor à noite.

5. Os bebês não são “projetados” para dormir durante a noite.

Acho que todos podemos concordar que, mesmo que os bebês tenham sido "projetados" de alguma forma, existe muito espaço para aprendizado e desenvolvimento. Confiar na fisiologia do seu filho para ditar seu horário de sono, seus hábitos alimentares, seu comportamento ou qualquer outro aspecto de sua educação, pode ser perigoso.

Seu filho foi projetado para comer três quilos de chocolate? Certamente não. Ele poderia comer se você não intervir? Sem dúvida.

Nossos filhos precisam de nossa experiência e autoridade para guiá-los durante os primeiros anos, e provavelmente o farão por décadas depois disso. Isso é especialmente verdadeiro quando se trata de dormir.

Lembre-se de que existem inúmeras postagens em mídias sociais e sites que se retratam como fatos, e nada os impedem de fazer essa afirmação, independentemente de sua precisão ou base científica real. Sempre busque fontes de informações confiáveis, como universidades, Hospitais e centros de pesquisa. E durma bem! 

Por Carla Picolli, Consultora do Sono e mãe do Albert e da Malu.

Para conhecer mais o trabalho da Carla é só acessar o instagram @carlapicolli.sonoinfantil.

postagens anteriores

Você sabe o que são os primeiros 1000 dias?

05/03/2021

Os primeiros 1000 dias de vida do bebê (270 dias gravidez + 0 a 12 meses 365 dias + 1 a 2 anos 365)  é considerado uma janela de...

Ler mais

Displasia do Quadril em crianças

04/03/2021

A Displasia do Desenvolvimento do Quadril (DDQ), comumente chamada de Luxação Congênita do Quadril, é um termo que...

Ler mais
Olá, precisando de ajuda? Tire suas dúvidas conosco!