topo

Estratégias para ajudar nas aulas online

27/04/2021

Pelos motivos já relatados, é mais eficiente que pais e responsáveis invistam em:

• Melhorar as condições do ambiente em que seus filhos estudarão em casa;

• Aumentar o grau de suporte (ajuda e recursos) durante o período de estudo.

Para melhorar as condições do local em que a criança ou o adolescente irá estudar você pode:

• Providenciar e estimular o uso de fones de ouvido para reduzir a distração com conversas e barulhos próximos ao local de estudo;

• Orientar o estudante a sentar-se diante de uma mesa preferencialmente encostada em uma parede com o mínimo possível de enfeites ou informações que possam causar distração;

• Colocar o celular no modo “não perturbe” ou “modo avião” e desativar notificações e alarmes para que não haja interrupções enquanto o estudante assiste à aula seja pelo celular ou pelo computador;

Para melhorar o grau de suporte necessário ao seu filho você pode:

•Estabelecer um cronograma de estudos com intervalos regulares para descanso a fim de otimizar o tempo de concentração durante os estudos;
• Usar um timer, como a função de temporizador do seu celular, para marcar os períodos de estudo e de descanso e ajudar seu filho a regular os períodos de estudo e descanso;

• Usar aplicativos ou programas para gravar as aulas online que são transmitidas em tempo real a fim de não perder os conteúdos das explicações dos professores durante os períodos de pausa ou em casos em que seu filho não estiver conseguindo fazer anotações em tempo hábil durante as aulas;

• Verificar qual seria a maneira mais viável para que seu filho tenha ajuda extra para tirar as dúvidas sobre as aulas;

• Pedir ajuda a familiares ou amigos; ver com a escola se há plantão para tirar dúvidas e iniciar aulas de reforço são opções a considerar;

• Separar um tempo durante o final de semana para revisar as atividades com seu filho;

• Não interromper o uso de medicação já prescrita ao seu filho sem ter recebido orientação médica para isso;

• Solicitar ajuda dos profissionais que realizam acompanhamento contínuo com seu filho para que orientem à escola sobre as adaptações necessárias (em casos de crianças e adolescentes com algum quadro neuropsiquiátrico que contribua para dificuldades de aprendizagem).

• Considerar a necessidade de realizar uma avaliação neuropsicológica para auxiliar nas adaptações curriculares tanto para aulas online como presenciais no caso crianças com diagnóstico ou suspeita de algum quadro neuropsiquiátrico (deficiência intelectual, autismo, TDAH...).

 

Apesar de termos que nos ocupar com os afazeres domésticos e a rotina de trabalho, é importante que compreendamos que crianças precisam de maior suporte para gerenciar o tempo e as atividades escolares devido à imaturidade própria da idade.

Não é realista pais e responsáveis esperarem que seus filhos estudem totalmente sozinhos quando:

• São muito novos (abaixo de 11 anos);

• Nunca foram incentivados a ter rotina de estudo em casa;

• Possuem dificuldades de aprendizagem decorrentes de transtornos neuropsiquiátricos ou genéticos.

Por Gisele Silva Corrêa, Neuropsicóloga e mãe do Apolo.

Para conhecer mais o trabalho da Gisele é só acessar o instagram @giseleneuropsicologa

postagens anteriores

1000 primeiros dias da criança

17/05/2021

Você sabia que os primeiros mil dias de vida de uma criança são os mais importantes e que as experiências vividas nesse...

Ler mais

Devo obrigar meu filho a raspar o prato?

14/05/2021

Nossos hábitos alimentares são formados na infância, por isso é importante que ensinemos às crianças bons...

Ler mais
Olá, precisando de ajuda? Tire suas dúvidas conosco!